topbanner

Podemos falar? Claro que pode!

Podemos falar? Claro que pode!
Texto, Thronn
Nota do editor

Este ano de 2010 foi um ano muito generoso com o skateboarding mundial e principalmente com nós, brasileiros. Vivemos momentos emocionantes de destaque e levamos o skate brasileiro nos limites. Estivemos à frente em quase todas as categorias do nosso esporte e estamos chegando perto naquelas em que não dominamos.

Nos XGames, tivemos o menino Pedro Barros, que sagrou-se campeão do Super Bowl. Bob Burnquist, o nosso embaixador, consegue levar o primeiro lugar com uma competição que estreiou no meio de tantas outras categorias no XGames, eu digo – o perigoso Mega rail.

A princesa das ruas, Letícia Bufoni, nos deu várias alegrias esse ano levando vários campeonatos de bandeja para nossa felicidade, Maloof , XGames e outros.

No Brasil, aconteceram campeonatos grandes e milionários, apesar de a premiação não estar aos pés dos eventos do Estados Unidos, ainda assim o Brasil estava lá detonando tudo com seus filhos do skateboard.

Um ano maravilho tem sido para nós e só temos que comemorar e agradecer a Deus, Alá, Buda ou ao santo que você for devoto.
A Tribo Skate com grande estilo ressuscita o campeonato da ladeira da morte e reúne amantes do skateboarding de várias gerações num feito inédito. O rei do DownHill Slide, Sérgio Yuppie (reconhecido mundialmente), não deu mole e levou o campeonato seguido por uma geração que vem competindo internacionalmente.

Se no slide o Yuppie domina, nas outras modalidades de ladeira o Brasil também vem mostrando competência. Thiago Gardenal passou três meses na Europa correndo eventos de slalom e sagrou-se campeão mundial amador pelo ranking da ISSA. No cenário do speed, o Douglas Dalua foi eleito o “Speedboarder do Ano” pela conceituada revista Concrete Wave, e alcançou o 4º lugar no ranking da IGSA – uma façanha, considerando o fato de que o ranking tem mais de 850 competidores!

No circuito da World Cup Skateboard não teva para ninguém: levamos tudo pra casa. Pedro Barros primeiro no bowl, Marcelo Bastos em half pipe, Letícia Bufoni skate feminino e Rodolfo Ramos no street style.

Pedro Barros, front side tuck knee, foto Heverton Ribeiro

Pedro Barros, front side tuck knee, foto Heverton Ribeiro

Um grande presente de Natal dado a nós todos do skateboarding foi a realização do campeonato da RTMF em Florianopolis, de nível internacional, contando com lendas do skate norte-americano que competiram por equipes misturadas com os nossos irmãos. André Barros, o mentor desse evento, mostra que tem força colocando Florianópolis no calendário mundial do esporte.

No cinema também tivemos uma inserção importante, com o filme Dirty Money exibido nas telas de Hollywood. Na sequência, pela primeira vez na historia do skate mundial, um festival de cinema só para o skateboarding, o “Los Angeles Skate Film Festival”, que veio com força pra ficar e sagrar-se como o Oscar pra gente.

O tão esperado “Vidas Sobre Rodas”, feito pelo Daniel Baccaro (ele também um Ultra- boy), foi tão esperado o ano todo. O resultado do trabalho de 5 anos se fez jus, pois na estréia foram mais de 2 mil pessoas numa premiere, recorde falando de um filme de skateboarding, filme esse que recebeu excelentes críticas especializadas no Brasil.

Sandro dias apresenta Vida sobre rodas

Sandro dias apresenta Vida sobre rodas. Foto: Betão

O ano finaliza com “Favela em Ação”, filme de Jailson e Lobão com sucesso. Também marcou o início da produção do doc “É Nóis Subindo a Ladeira”, do Eloy Figueiredo, o primeiro filme que aborda o cenário das modalidades de ladeira no nosso país.

2010 também foi um ano muito importante para o nosso website, que saiu da dependência dos webmasters – que às vezes o deixaram sem manutenção e complicando as notícias chegarem até vocês. Mas a independência veio com essa nova versão, que nos proporcionou assinar nossa liberdade.

Vieram somar ao website o Alberto Betão, na correção de texto e edição, e o mestre Tai Tai na direção de arte, dando manutencão e deixando mais legível. Agradeço muito a esses caras que estão comigo todos os dias na internet.

Completamente undeground, estaremos sempre informando dentro do nosso possível o que acontece no skateboarding no mundo.

Para esse próximo ano, estaremos abertos à possibilidades de recebermos matérias feitas por vocês de alguma parte do mundo.
O website agora passa a contar com maior participação do seu público. Se você mora em algum lugar e quer divulgar, relatar alguma situação sobre nosso esporte, estaremos de janelas e portas abertas para recebermos sua notícia e publicar aqui. Pode mandar material de música, skateboarding de qualquer modalidade e de artes. Dependendo do conteúdo de seu material, poderá ser publicado na nossa revista impressa que estará no próximo ano nas skateshops.

Como isso, o website se tornou um patrimônio público e você pode participar. Contamos contigo, use o nosso espaço à vontade e sinta-se em casa!
Do fundo do meu ser e da minha alma, eu amo o skateboarding e esse amor nunca doeu no meu coração, só me deu alegria, força e vida.

Abraços e beijos para familia skateboard.

Feliz 2011!

Antonio dos Passos Jr.(Thronn)

A princesa das ruas, Letícia Bufoni

A princesa das ruas, Letícia Bufoni

Marcelo Bastos, front side

Marcelo Bastos, front side

Rodolfo Ramos o Gugu

Rodolfo Ramos o Gugu

Da-lhe Brasil

Da-lhe Brasil

4 Responses to Podemos falar? Claro que pode!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Widgetized Section

Go to Admin » appearance » Widgets » and move a widget into Advertise Widget Zone