topbanner

Até que enfim! Fishbone

Fishbone passou pelo Brasil e deixou na memória a virtuosidade e mistura de estilos que são suas músicas. Os caras conseguem ir de algo parecido com o jazz, passando pelo rock com muita distorção, ska, rap e voltar ao jazz, às vezes isso tudo na mesma música.

"Dirty" Walter e Angelo Moore

"Dirty" Walter e Angelo Moore

John Norwood Fisher

John Norwood Fisher

Essa mistura incrível exige bons ouvidos para gostar, apreciar, entender a brincadeira e criatividade toda, sempre em alto nível.

Sonzera brava

Sonzera brava

Angelo e Betão

Angelo e Betão

Fishbone fez quatro shows no Brasil sendo dois em São Paulo, um no Rio de Janeiro e um em Curitiba. Gostaria de saber como foi o show nas outras cidades.

Rodrigo Brandão, Rodrigo Carneiro e Marcelo Munari

Rodrigo Brandão, Rodrigo Carneiro e Marcelo Munari

Antes do primeiro show encontrei Angelo Moore na Galeria do Rock em SP. O ‘cara’ estava acompanhado da TV Cultura que até tentou conduzir a apreciação de alguns artistas brasileiros, mas me pareceu que o Luis, da tradicional loja Baratos Afins, é que entendeu o que Angelo buscava em nosso país. Ele queria cultura, originalidade e personalidade.

"Wet Daddy", Batera do Fishbone com camiseta que ganhou de camelô

"Wet Daddy", Batera do Fishbone com camiseta que ganhou de camelô

Angelo se sentiu à vontade para arriscar uma dança ao som de Jackson do Pandeiro, Clementina de Jesus com Carlos Cachaça, Germano Mathias, pirou com Chiclete com Banana, gostou de Luiz Gonzaga mas não levou o cd. No total ele levou cinco discos, incluindo um vinil da Clementina de Jesus e disse que ia pedir a um amigo para salvar em mp3.

amigos músicos, Munari e Ricardo Ortega

amigos músicos, Munari e Ricardo Ortega

Ele procurou algo que tivesse sax, trombone e cuica. Angelo disse ao Luis: “I play cuica”, rs. Nessa hora a banda estava almoçando pela Galeria do Rock. Em entrevista dada a Rodrigo Carneiro, Angelo mostra CDs e vinil adquiridos horas antes do show que aconteceu na Eazy. http://www.youtube.com/watch?v=cUuJKAIjl_k

Esse show arrebentou, foi muito bom, público bacana, vários surfistas, skatistas, músicos, muitas e muitas mulheres bonitas (sem exagero), sem falar na aula de guitarra de Rocky George que é ex-Suicidal Tendencies, outra banda que passou pelo palco da Eazy, respeito total.

Anjos dos Becos

Anjos dos Becos

Yo Ho Delic

Yo Ho Delic

Para encerrar a visita ao Brasil, Fishbone fez um show no Carioca Club juntamente com outras bandas como Mickey Junkies que abriu a noite bem cedo com a casa ainda recebendo as primeiras pessoas, aqueceu os ouvidos.

Angelo Moore e Dre Gipson

Angelo Moore e Dre Gipson

Na sequência Yo Ho Delic assumiu e representou com músicas muito legais, timbre incrível, riffs e bases interessantes. Claro que lembramos do clip que ‘rolou’ na MTV, faz um bom tempo. E por citar a emissora, Cris Couto que já foi vj estava ali prestigiando.

Bolota, Lips, Skillo e Betão

Bolota, Lips, Skillo e Betão

Em seguida Anjo dos Becos fez sua apresentação para animar a festa que contou com a participação especial da filha do Pirata (vocalista) com mais uma amiga. Crianças lindas despejando boa energia em todos.

John "Wet Daddy" Steward, Batera do Fishbone

John "Wet Daddy" Steward, Batera do Fishbone

O ambiente estava muito bom mesmo a casa não estando lotada. Por ali circulava Marcelo Munari e Ricardo Ortega que participaram do Pavilhão 9 na mesma formação junto com Marinho do Yo Ho Delic, Rodrigo Brandão do Mamelo Sound System, Chicão do estúdio de Oz, Daniel Zero artista e designer da EastPak, Tadeu Banzato do selo Radiola
Records, André Alves do Nitrominds que atualmente está com o projeto Música Diablo junto com Derrick Green.

Anjo dos Becos

Anjo dos Becos

Momentos antes da hora mais esperada da noite, Angelo Moore passeava pelo público, cumprimentou e tirou fotos com o pessoal. Finalmente Fishbone subiu ao palco com a presença da filha do Pirata e sua amiga sentadas à vontade na ponta do palco dividindo o espaço com Angelo, de repente escutei alguém falar no meio do público “parece que estou no céu”, heheh, bem no meio de um reggae muito viajante. Que ‘Classe A’ tudo isso, e assim a gente espera que o pessoal do Fishbone tenha se divertido tanto quanto nós.

Muito obrigado ao Rafael Sachetto que colaborou com as fotos, André Alves, Rodrigo Carneiro, Thronn e todas as bandas por apoiarem e tornar esse post possível.

E por último mas não menos importante alguns links rápidos para as bandas citadas no texto:

Musica Diablo: http://www.myspace.com/musicadiablo

Mamelo Sound System: http://www.myspace.com/mamelosoundsystem

Nitrominds: http://tramavirtual.uol.com.br/artistas/nitrominds

Fishbone: http://www.fishbone.net/

Yo Ho Delic: http://www.youtube.com/watch?v=cSsCBTH84NE

Mickey Junkies: http://www.myspace.com/mickeyjunkies

Anjo dos Becos: http://www.anjodosbecos.com.br/

Cartaz Fishbone no Brasil julho 2010

Texto por: Alberto Betão
Fotos: Rafael Sachetto

7 Responses to Até que enfim! Fishbone

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Widgetized Section

Go to Admin » appearance » Widgets » and move a widget into Advertise Widget Zone