topbanner

Agent Orange Power Trio Detona Surf Style e Skaterock

Alberto Betão

Alberto Betão

por Alberto Betão

O mês de abril em SP tem sido agitado com alguns shows e visitas de personalidades do mundo do skate e do rock. Rolou um show do Agent Orange no CB Bar em São Paulo e muitos de nós já tocamos músicas dessa banda, então imagine o tanto que ir no show dessa banda pode representar.

Lá na frente do CB um ônibus ‘balada ambulante’ rolando rock e grátis para entrar e curtir sendo a bebida divulgada ali R$ 5 a dose. Meio que eu conhecia mais ou menos a fila inteira por ser pessoas que encontramos pelos shows que acontecem na cidade e pelas pistas de skate, então estava um clima de ‘tudo em casa’.

sampa champ-1

Quando chegamos na porta, pra ser mais preciso bem na hora de entrar na casa o segurança avisou que a casa estava lotada e não ia mais entrar ninguém, aliás entraria sim mas na mesma proporção de pessoas que saíssem. Ou seja, saiu um, entra um. Até saíram alguns mas o segurança não deixou entrar nenhum (what tha fuck!?!?!?!?!), não entendemos nada e estávamos ali na fila conversando na diplomacia para que todos entrassem. Tentar furar a fila seria o mesmo que passar seu amigo pra trás na cara dura já que nos conhecíamos todos de vista pelo menos e não tinha adolescente, era tudo marmanjo e umas mulheres na parada.

Agent Orange no palco delírio geral

Agent Orange no palco delírio geral

Juneca tentando de todas as maneiras arrumar uma jeito de entrarmos na casa e estava quase lá. Eu me ofereci ao pessoal da fila para arrecadar grana e trazer cervejas e foi uma boa idéia isso. A R$ 2,50 a latinha busquei algumas cervejas para nós e assim aguardar na fila. Tínhamos esperanças que entraríamos. Alguns desistiram não foram perseverantes e quem ficou teve boa sorte no final.

Olhei para o relógio e já era meia noite e meia, percebi o som da banda de abertura e perguntei ao segurança se era isso mesmo. Ele abriu a porta para escutar melhor, nessas um roqueiro na fila subiu na borda da parede para enxergar a pista e estávamos ali naquele clima de esperança e angústia já pensando no dia seguinte de trabalho e quase que abandonando o barco quando o segurança solta essa: ‘vou deixar todo mundo entrar antes do show do Agent Orange, calma ae sem alvoroço’. Nessa hora a galera compartilhou uma energia melhor, ‘ééééééé!’.

Galéra  felíz cantando todas

Galéra felíz cantando todas

Foi isso mesmo que aconteceu, Agent Orange ia entrar no palco e nós entramos na casa, todos ali na pequena fila dos perseverantes, hahahaahahah. As primeiras 2 músicas curtimos ali de trás com a casa lotada então um camarada falou para irmos lá na frente na roda hardcore, sim claro rumamos para lá com educação pedindo licença foi fácil chegar.

E foi aquilo, rock californiano tudo haver com skate e com surf, power trio representando ali, a roda funcionando com vários caras pulando, correndo e soltando pogos no salão. O riff saia do amplificador Marshall rasgando no ar com um timbre incrível, o baixista na energia total e o baterista comandando a cozinha em ritmo acelerado. Foi classe A escutar ‘everything turns gray’, ‘say it isn’t true’, ‘the last goodbye’ etc, realmente um set list muito bom.

Mike Palm

Mike Palm

 Perry Gx

Perry Gx

Eu olhava ao redor e eu simplesmente encontrava muitos amigos que eu não imaginava que poderia encontrar ali, o Alex skater milianos do Vila Izabel/Alto do Farol, Daniel Moita da Imigrantes, Eduardo Tani ‘San’ surfer bro, Douglinhas ‘Longboarder’, e mais aquela renca que nos conhecemos no mínimo de vista das pistas de skate de São Paulo.

No meio do show, uns estavam causando bastante e deveriam estar muito loucos (só podia ser isso, tava f*d@!), tinha um lá que toda hora subia no palco e ia direto para o microfone e não haveria problema se o vocalista ficasse sem voz, hahahahaahahah, impressionante várias vezes o cara foi para o microfone. De repente no agito tomei uma porrada na boca e cortou o lábio por dentro e na sequência Juneca me deu uma cotovelada na testa, quando percebi o Rogério Sammy soltando socos no ar pra todos os lados então o Juneca deu a idéia de fazer a roda funcionar como uma roda mesmo e saímos nessa missão gritando e arrastando os caras até eles entenderem que era pra fazer a roda rodar e não ficar daquele jeito porrada pra todo lado. Caras, funcionou a roda girou e ficamos ali agitando em roda chutando o ar foi da hora! Aeee ow Nóis pô!

Dave Klein

Dave Klein

Teve um momento que Mike Palm (vocal e guitarra) falou no microfone que ele se sentia como em um show que aconteceu no “Olimpic Auditorium” em algum lugar no mundo sei lá onde. De qualquer maneira ficou registrado ali que a energia era boa porque resgatava uma memória legal.

Trocamos idéia com Amauri Piu Pereira surfer profissional lá na fila na expectativa com a gente, também conseguiu entrar no show, perseverante pode crer, e comentou do big swell que rolou na mesma semana com altas ondas no Guarujá onde surfou na Astúrias abrindo tudo (até o saco… hahhhahhaha, na gíria claro)

Acabou o show. A galera ali respirando um pouco, começou um burburinho, os que estavam causando há um tempo resolveram subir no palco e gritar no microfone, a platéia gritou junto, um doido lá falou para gritar mais para chamar de novo a banda e só assim eles viriam, blábláblá, foi isso mesmo que aconteceu, mais duas músicas na vontade, eu disse na vontade com riff pra todo lado e a mesma energia no frente do palco, soco pra todo lado tudo numa boa. Para alguns isso deve ser difícil de entender, hahahhaha.

Sammy

Sammy

Parecia que todo mundo ali tinha mergulhado de roupa numa piscina, tudo molhado, cadarço desamarrado e o tênis não saiu do pé porque é um vans cano alto, hahahah. Acabou o show, idéias finais, the last goodbye, até o final de semana lá na pista de skate, carona aos que moram perto, encarar a fila do caixa que estava casca grossa e nessa hora passa o Augusto com seu chapéu que aliás era sósia do baixista com o mesmo estilo e chapéu e a coincidência não pára por aí porque o Ed Scander tb estava na pista com o mesmo chapéu e mesma estatura que o baixista da banda, HAHAHAHAAHAHAHAH essa foi!!!! Reparei que os amigos do Ed também repararam nessa semelhança visual, falae Ed.

O Segurança queria um café por ter agilizado o acesso ao show para aquele restante da fila e eu achei legítimo, então tomou um café por minha conta. Valeu ae armário.

Alex e Betão reinando

Alex e Betão reinando

Agora vamos ver qual será a próxima.

Betão, cara sua matéria tá irada ,maior adrenalina, valeu!! espero te ver mais vezes aqui.

Abração

Thronn

4 Responses to Agent Orange Power Trio Detona Surf Style e Skaterock

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Widgetized Section

Go to Admin » appearance » Widgets » and move a widget into Advertise Widget Zone